Ocorreu um erro neste gadget
"CLIQUE NA TELA" > 2 vezes para tela cheia <> Neste Canal você assiste programação ao "VIVO da NASA"

Reading matters posted by > Rubens Lessa Explains


Instale a barra de ferramenta do Google e traduza páginas da web instantaneamente com a detecção de idioma automática.

Homem na Lua: 40 anos


Em 20 de julho de 1969, os astronautas americanos Neil Armstrong e Edwin "Buzz" Aldrin se tornaram os primeiros seres humanos a caminhar na Lua. Depois deles, mais 10 astronautas, todos dos EUA, exploraram a superfície lunar


Leia aqui o artigo completo




Como funciona
a Nasa

Como funciona o
ônibus espacial


Como funciona a Lua

Durante milhares de anos as pessoas olharam para a Lua, imaginando o que haveria por lá. Em 1969, um astronauta pisou nela. O que há de especial na Lua? Do que ela é feita, e por que ela se mostra de maneira diferente conforme mudam suas fases?



Como funcionarão
os robonautas

Como funcionava
a Apollo



STS-132 Shuttle Mission Imagery

Carro elétrico i-MiEV

O presidente da Mitsubishi Motors, Osamu Masuko, posa ao lado do carro elétrico i-MiEV (Foto: Junji Kurokawa/AP)

A Mitsubishi apresentou nesta sexta-feira (5) em Tóquio, no Japão, o seu novo carro elétrico, o i-MiEV. O carro vai custar 4,59 milhões de ienes, o equivalente a US$ 47,5 mil, o que representa o dobro do preço de carros híbridos como o Toyota Prius e o Honda Insight. Ainda assim, a quarta maior montadora japonesa acredita que o i-MiEV vai ajudar a empresa a sobreviver diante da grande competição global.

Com este carro elétrico nós vamos desafiar as montadoras globais”, disse Osamu Masuko, presidente da Mitsubishi Motors, na apresentação do novo veículo.

O i-MiEV é movido a motor elétrico e suas baterias podem ser recarregadas em uma tomada comum de uma casa. O carro de quatro lugares por atingir 160 km de autonomia após receber uma carga de sete horas a 200 volts.
“É um veículo com zero de emissão de poluentes. Não utiliza um motor de combustão agregado, como acontece com os carros híbridos”, explicou Masuko.

Os veículos híbridos combinam o motor elétrico com um propulsor a gasolina.
Em relação ao preço, o i-MiEV custa mais que o dobro do Toyota Prius (US$ 23 mil) e do Honda Insight (US$ 19 mil). Masuko reconhece que o alto preço é um grande obstáculo para incentivar as pessoas a comprarem o i-MiEV. “Este não é o preço que os cidadãos podem facilmente comprar. Mas, assim que aumentarmos a nossa produção poderemos colocar o preço abaixo dos 2 milhões de ienes”, afirmou.

A Mitsubishi vai propor ao governo do Japão incluir o i-MiEV em programas de subsídio para incentivar os consumidores a trocar seus carros por modelos menos poluentes, o que pode ajudar a baixar em 43% o preço original.

Inicialmente, a Mitsubishi vai vender 1.400 unidades do i-MiEV aos governos das províncias japonesas e para empresas. A partir de abril de 2010, a montadora vai iniciar a venda ao público em geral. O presidente da companhia disse que a empresa levou 40 anos para desenvolver o carro elétrico mas não quis afirmar quando foi investido no projeto.

Enquanto isso, outras companhias seguem com o planejamento de colocar no mercado veículos movidos a eletricidade. A empresa da Malásia Proton e a holandesa Detroit Eletric planejam lançar modelos elétricos em 2010. A Tesla Motors tem um protótipo que pode entrar em linha de produção em 2011. A Toyota planeja vender carros elétricos nos Estados Unidos a partir de 2012, enquanto a Nissan disse que vai introduzir modelos nos mercados japonês e norte-americano no ano que vem.

De acordo com Masuko, a Mitsubishi planeja vender 250 unidades do i-MiEV na Europa neste ano fiscal e introduzir o veículo na China e nos Estados Unidos em seguida. A empresa planeja vender 15 mil unidades do carro até março de 2012. No entanto, de acordo com o presidente, a Mitssubishi tem a capacidade de produção limitada a 30 mil unidades por ano.

“Queremos fazer um veículo comercial também”, destacou. “Estamos olhando para o futuro, no mercado automotivo daqui 10 ou 20 anos. Estamos no meio da competição mundial e não podemos ficar para trás.”

Para responder ao aumento da capacidade produtiva, o fabricante de baterías Lithium Energy Japan, vai colocar uma Segunda linha de produção em sua fábrica na província de Shiga. A nova linha, que custará ao fabricante US$ 30 milhões, vai permitir elevar a capacidade de produção das baterias até 5 mil unidades anuais.

Fonte
G1, Associated Press
.