Ocorreu um erro neste gadget
"CLIQUE NA TELA" > 2 vezes para tela cheia <> Neste Canal você assiste programação ao "VIVO da NASA"

Reading matters posted by > Rubens Lessa Explains


Instale a barra de ferramenta do Google e traduza páginas da web instantaneamente com a detecção de idioma automática.

Homem na Lua: 40 anos


Em 20 de julho de 1969, os astronautas americanos Neil Armstrong e Edwin "Buzz" Aldrin se tornaram os primeiros seres humanos a caminhar na Lua. Depois deles, mais 10 astronautas, todos dos EUA, exploraram a superfície lunar


Leia aqui o artigo completo




Como funciona
a Nasa

Como funciona o
ônibus espacial


Como funciona a Lua

Durante milhares de anos as pessoas olharam para a Lua, imaginando o que haveria por lá. Em 1969, um astronauta pisou nela. O que há de especial na Lua? Do que ela é feita, e por que ela se mostra de maneira diferente conforme mudam suas fases?



Como funcionarão
os robonautas

Como funcionava
a Apollo



STS-132 Shuttle Mission Imagery

"I T E R" Reator Termonuclear Experimental Internacional.

Sua construção teve início em 2007, em Cadarache, sul da França, sete paises se uniram para desenvolver este projeto, (União Europeia, Rússia, Japão, China, Índia, República da Coréia e Estados Unidos) que visa demonstrar, o potêncial da fusão nuclear como fonte de energia, com grande número de vantagens, nomeadamente a abundância e disponibilidade dos combustíveis de base, e a ausência de emissões de gases que causem efeito de estufa.

Vão ser gastos, $ 12 bilhões nos próximos 10 anos para construir a máquina de fusão nuclear chamado, " ITER" Começando a operar em 2014, a máquina irá operar no modo de pesquisa durante 20 anos, seu objetivo é o de reproduzir as mesmas condições da fusão nuclear com o poder do sol, claro, em menor escala.

Rubens Lessa diz, todos sabemos dos perigos envolvido neste projeto, mas o homen sempre caminhará, em busca de conhecimento e domínio tecnologico, sempre foi e sempre será assim, caso contrario não estariamos ao nível de desenvolivimento atual, sempre haverá pessoas contrarias, por diversos motivos, e as que aceitam correr risco na esperança de vencer os obstaculos no caminho da evolução da humanidade.

A eminência de um aquecimento global, de efeito devastador, faz com que se busque fontes de energia limpa para geração de eletricidade, para um planeta com mais de seis bilhões de habitantes, hoje, grande parte, produzindo e consumindo energia de fontes poluentes ao meio ambiente.

A ciência e engenharia tem consciência dos problemas que devem ser resolvidos, são assustadores. Hoje, a fissão nuclear dividem átomos para liberar energia.

Na fusão nuclear o princípio é totalmente diferente, a ideia de fusão está em aquecer deutério e trítio (ambos são átomos de hidrogênio com nêutrons extra), tornando-os tão quente que os seus elétrons são arrancada e seus núcleos fundidos juntos, formando um átomo de hélio, liberando nêutrons e a energia neles contidos.

O calor no meio de uma reação da fusão, é enorme - 100 a 300 milhões de graus centígrados. Nada pode sobreviver a este calor. Nestas temperaturas, tudo se transforma em um estado semelhante ao estado de gás chamado, " plasma"., para se fundir, os átomos de hidrogênio deve ser bombardeados no interior de um recipiente magnético e este estar dentro de uma câmara de vácuo, para se ter total controle sobre o "plasma".

Para absorver os nêutrons a partir da reação da fusão nuclear, a câmara principal do reator de fusão, precisa ser cercada por uma manta de lítio com três metros de espessura. o lítio, queima espontâneamente se entrar em contato com o ar ou a água. Enormes imãs são usados, o fluxo de nêutron deve ser quase nula e que a temperatura deve ser próxima de zero absoluto (459 graus abaixo de zero, Fahrenheit).

A Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS) levantou uma série de preocupações sobre a fusão nuclear. Operação do reator de fusão iria apresentar vários perigos graves. O risco de acidente para o sistema magnético seria considerável, uma vez que o total de energia armazenada no campo magnético seria, sobre a energia média de um relâmpago "(200 mil milhões de joules2, o equivalente a cerca de 47 mil toneladas de TNT).

Um maior risco seria o incêndio do lítio, que poderia conseguir a libertação de energia de até 14.000 toneladas de TNT (60 trilhões de joules). "Mas o maior perigo de um reator de fusão, seria, sem dúvida, a liberação de trítio, os voláteis radioativos e combustível, para o meio ambiente.

Trítio radioativo é hidrogênio, um átomo minúsculo que é muito difícil de conter, sendo trítio hidrogênio, pode ser incorporado na água, fazendo com que a água se torne fracamente radioativa. Dado que a maioria dos seres vivos, incluindo os seres humanos, são principalmente água, água radioactiva representa um grande perigo.

O trítio tem uma meia-vida de 12,3 anos, o que significa que continua a ser radioativo por cerca de 120 anos .

É interessante especular por que a fusão possa parecer tão atraente. Por um lado, a sua grande complexidade e da despesa significa que só os países ricos poderiam pagá-las. Cada máquina altamente centralizado, criaria uma enorme fonte de energia, controlado por um número reduzido de pessoas.

As equipes técnicas necessárias ao desenvolvimento da fusão poderia ser chamada, se for necessário, para dar uma mão para projetos militares, talvez Criar potentes armas a laser e estas virem a ser colocadas no espaço.

"Ver fotos do projeto neste mesmo blog"


A cópia fiel e a distribuição deste artigo completo é permitida em qualquer meio, desde que esta nota seja preservada.

http://rubens-lessa.blogspot.com
Dados e informações:
http://www.iter.org/
wikipedia.org/wiki/Software_livre.